Perguntas Frequentes em Câncer De Colo Uterino e de Endométrio

CÂNCER DE COLO UTERINO

O que é?

O colo do útero é a parte mais baixa do útero e está no fundo do canal vaginal, podendo entrar em contato com várias bactérias e vírus através do contato sexual. O câncer acontece quando há a transformação maligna desta porção do útero.

Quais os sintomas?

  • Sangramento vaginal irregular.

  • Dor em baixo ventre (pélvica).

  • Perdas vaginais (corrimentos) atípicos e dor à relação sexual também são sintomas.

  • No início o câncer do colo do útero não apresenta sintomas claros, por isso é importante a realização periódica do exame preventivo, no qual a detecção de possíveis lesões pré-cancerígenas ou câncer na sua forma inicial é possível.

Como fazer o diagnóstico?

A coleta periódica do exame citopatológico do colo uterino (também chamado de exame de lâmina ou Papanicolau) possibilita o diagnóstico precoce, tanto das formas pré-invasoras (NIC), como do câncer propriamente dito. No exame ginecológico rotineiro, além da coleta do citopatológico, é realizado o Teste de Schiller (coloca-se no colo do útero uma solução iodada) para detectar áreas não coradas, suspeitas. A colposcopia (exame em que se visualiza o colo uterino com lente de aumento de 10 vezes ou mais) auxilia na avaliação de lesões suspeitas ao exame rotineiro, e permite a realização de biópsia dirigida (coleta de pequena porção de colo uterino), fundamental para o diagnóstico de câncer.

Quem tem mais risco de apresentar esta doença?

Infecção por papiloma vírus humano (HPV) é o maior fator de risco para o desenvolvimento do câncer de colo uterino. Outros fatores de risco conhecidos são início das atividades sexuais em idade precoce, promiscuidade (múltiplos parceiros sexuais) ou parceiro sexual de risco, multiparidade (muitos filhos), tabagismo, uso de anticoncepcionais, e condições que comprometam o sistema imunológico (dentre elas AIDS)

O que é o HPV?

O papilomavírus humano (HPV) é um vírus que infecta a pele e mucosas e pode causar câncer do colo de útero e verrugas genitais. Os tipos 16 e 18 causam em torno de 70% dos casos de câncer do colo de útero Já os tipos 6 e 11 são encontrados na maioria das verrugas genitais.

Como ocorre o contágio?

O vírus HPV é altamente contagioso, sendo possível contaminar-se com uma única exposição, e a sua transmissão acontece por contato direto com a pele ou mucosa infectada. A principal forma é pelo contato sexual, mas também pode ser transmitido de mãe para filho durante o parto. Embora seja raro, o vírus pode propagar-se também por meio de contato com a mão.

Quem pode se vacinar contra o HPV?

A vacina HPV estará disponível para adolescentes entre 9 e 13 anos, nas Unidades de Saúde do SUS ou nas escolas. A adolescente deverá tomar 3 doses da vacina. Destaca-se que as meninas de 12 a 13 anos que ainda não foram vacinadas devem procurar uma Unidade de Saúde do SUS para tomar a vacina. É preciso completar o esquema vacinal, pois só com a segunda dose a adolescente estará protegida. A vacina disponibilizada é a quadrivalente, que confere proteção contra quatro tipos (6, 11, 16 e 18), os mais associados aos cânceres de colo uterino, vulva e canal anal.

Quais os principais tratamentos contra o câncer de colo uterino?

Antes de iniciar qualquer tratamento ou cirurgia é de extrema importância realizar o exame ginecológico e exames complementares ( Ressonância Magnética da Pelve + Tomografia do Tórax e Abdome Superior) para saber qual o estágio da doença ( varia de I a IV). O tratamento das pacientes portadoras desse câncer baseia-se nestes estágios:

  • Estágio I: indica-se a cirurgia de Whertheim-Meiggs (convencional ou por videolaparoscopia) que consiste em ressecar o útero + 2-3 cm da porção superior da vagina + paramétrios (ligamentos do colo do útero por onde a doença pode se disseminar) + Linfonodos pélvicos. Os Ovários podem ser preservados se a paciente é jovem. A depender do resultado da patologia após a cirurgia pode ser indicado radioterapia para diminuir o risco de uma recaída, mas na maioria dos casos nesse estágio apenas a cirurgia é realizada.

  • Estágios II a IVa: O tratamento indicados para estes estágios é a Radioterapia + quimioterapia concomitante, com chance de cura apenas com o tratamento. A cirurgia nesses casos só é indicada quando o tratamento não cura o cancer ou acontece uma recaída tempos depois.

Quem eu devo procurar?

Inicialmente o ginecologista é quem realiza os exames de rastreamento e tratamento das lesões pré-cancerígenas, mas uma vez diagnosticado a paciente deve procurer o Cirurgião Oncológico que atue na área de Oncoginecologia para ser examinada (muitas informações sobre o estágio da doença são obtidas na hora do exame clínico) e discutir qual o tratamento adequado para o seu caso específico. Sempre envolvendo a equipe multidisciplinar composta também pelo oncologista clínico e radioterapeuta.

Câncer de Útero( Endométrio)

O que é?

Câncer do endométrio é uma doença maligna na qual as células formam-se nos tecidos do endométrio, que é a camada interna do útero (a mesma que descama todo mês nas mulheres antes da menopausa gerando a menstruação). O câncer do endométrio é a doença maligna ginecológica mais comum em países desenvolvidos e o segundo mais comum em países em desenvolvimento como o Brasil. Acomete , geralmente, mulheres após a menopausa (80%) e é fortemente ligado a obesidade.

Quais os Tipos de Câncer de Endométrio?

Existem alguns subtipos de câncer de endométrio:

  • O subtipo endometrióide é responsável por 60% a 75%

dos casos.

  • Outros tipos são uterino papilar seroso, células claras, mucinoso, células escamosas e indiferenciado.

  • Carcinossarcoma Uterino - começa no endométrio e tem características tanto do carcinoma endometrial como do sarcoma. Os carcinossarcomas também são conhecidos como tumores mesodérmicos malignos mistos ou tumores mullerianos mistos malignos. Representam cerca de 4% dos cânceres uterinos.

Quais os sintomas ?

Os sinais de alerta mais comuns do câncer de endométrio são sangramento vaginal anormal não relacionado a menstruação e dor pélvica Como o câncer de endométrio começa dentro do útero, ele não costuma aparecer nos resultados de um Exame de Papanicolau. Por essa razão, uma amostra do tecido endometrial deve ser removida e verificada ao microscópio para procurar as células cancerosas. As amostras podem ser obtidas através de biópsia endometrial ou curetagem.

Quais os Fatores de Risco?

Fatores de risco incluem excesso de estrógeno sem oposição adequada de progestágeno, uso de tamoxifeno (tipo de tratamento hormonal utilizado no câncer de mama), obesidade, nuliparidade (estado de mulheres que nunca tiveram filhos), diabetes mellitus e hipertensão. Idade acima de 50 anos, síndrome de ovários policísticos, síndrome de Lynch e menarca precoce são outros fatores de risco.

Tratamento

A cirurgia é o tratamento mais comum para o câncer de endométrio e pode ser realizado por videolaparoscopia diminuindo as complicações e acelerando a recuperação pós-operatórias. Consiste na retirada do útero, tubas, ovários, linfonodos pélvicos e retroperitoneais. Contudo, mesmo que o médico remova todo o câncer visível no momento da cirurgia, a paciente pode necessitar de radioterapia, tratamento anti-hormonal ou quimioterápico, para matar quaisquer células cancerosas microscópicas

Posts Em Destaque
Posts em breve
Fique ligado...
Posts Recentes